Erro e negligência humana causam 98% dos acidentes de trânsito no Brasil

Seja numa viagem a trabalho ou numa simples carona para casa. Não usar o cinto de segurança no banco de trás é uma decisão que pode colocar em risco a sua vida e das demais pessoas que estiver veículo, mesmo que elas estejam usando o cinto de segurança. Este foi um dos alertas que o soldado Gerson Teixeira, do Batalhão de Polícia do Trânsito do Paraná (BPTran), deu na palestra ministrada por ele na manhã desta quarta-feira (23/05), no Sistema Ocepar, em Curitiba.  “Trabalho há 23 anos na área de trânsito e, com base na minha experiência, digo sempre que ‘acidentes’ de trânsito não existem. Eles são provocados por uma ação humana, seja imprudência, excesso de velocidade ou descuido com a manutenção do veículo, só para citar alguns exemplos. Os dados mostram que 98% das ocorrências são causadas por erro ou negligência humana”, contou.

Números assustam – Em sua explanação, o policial citou números que demonstram a situação alarmante do trânsito no Brasil e em Curitiba. Ele lembrou, por exemplo, que em caso de colisão ou freada brusca, uma criança no banco de trás e sem cinto de segurança é arremessada para frente com 20 vezes mais que o seu peso. Para se ter uma ideia do perigo que isso representa, um impacto a 40 km/h pode fazer com que uma criança de 20 kg seja arremessada para frente pesando 400 kg.

Prejuízo inestimável – Para não ficar apenas em números e nos apontamentos dos principais fatores de risco, como dirigir sob efeito de álcool, distração causada por celular, excesso de velocidade, entre outros, o policial citou exemplos de acidentes que aconteceram em Curitiba e que poderiam ter sido evitados, já que a causa principal foi a imprudência dos motoristas. “No último domingo, por exemplo, um grave acidente em Curitiba causou a morte de uma pessoa. O motorista estava sob efeito de álcool e cruzou o sinal vermelho. Em outro caso, uma mãe levando o filho para escola fez uma parada rápida num supermercado e ao voltar para o carro não colocou o cinto na criança porque a escola ficava a poucos metros de onde estava. Mas ao cruzar a via, seu carro foi atingido por outro veículo dirigido por um motorista alcoolizado. A criança foi arremessada para fora carro e morreu na hora. Como essas, existem milhares de outras histórias que, infelizmente, se transforaram em estatísticas, mas que para as famílias causaram um prejuízo emocional inestimável”, disse.

Foco em prevenção – A palestra sobre trânsito ministrada no Sistema Ocepar foi uma das ações desenvolvidas pela Cipa em alusão ao movimento nacional Maio Amarelo – campanha que fomenta na sociedade discussões sobre o alto índice de mortos e feridos no trânsito. “O trabalho que o Sistema Ocepar realiza exige que seus profissionais realizem um número de grande de viagens. Então, é fato que a prevenção de acidentes é uma das nossas principais preocupações. Temos famílias esperando o nosso retorno para casa. São esposas, filhos e pais. Então é uma responsabilidade da empresa garantir que seus funcionários retornem com segurança, mas também é preciso que tanto os motoristas quanto os passageiros colaborem dirigindo com prudência, usando cinto de segurança”, comentou o superintendente da Ocepar, ao agradecer a presença dos funcionários na palestra.   “É muito importante a participação de cada um. A Cipa tem se dedicado para trazer atividades relevantes voltadas para a questão de saúde e prevenção de acidentes. E agora trouxe uma palestra importantíssima dentro da campanha Maio Amarelo. O trânsito é um tema que precisa da atenção e do comprometimento de cada um de nós, porque nós somos o trânsito, então, são as escolhas que fazemos que determinam os acontecimentos”, completou o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche.

Maio Amarelo – Em 11 de maio de 2011, a ONU (Organização das Nações Unidas) decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações que o mundo inteiro realiza. A intenção da ONU é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020. O amarelo foi escolhido para marcar as ações desse mês porque essa cor simboliza atenção e também a sinalização e advertência no trânsito, dois fatores fundamentais para prevenir acidentes.

Mais informações sobre a campanha Maio Amarelo podem ser obtidas no site http://www.maioamarelo.com/o-movimento/.(Ocepar)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s