Agricultura – Caravana da Soja passou por Campo Mourão-PR

Com realização do Canal Rural e da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil) e coordenação técnica da Embrapa Soja, está acontecendo em várias regiões do país a Caravana Soja Brasil.
E na semana passada a caravana estacionou em Campo Mourão(PR), onde na ocasião, debateu a respeito das fortes estiagens que castigam a região. Para ajudar nesta dificuldade, a Embrapa realizou uma palestra mostrando alguns cuidados que podem minimizar os prejuízos com a falta de água e, até mesmo com o excesso de chuvas, e apresentou outros assuntos de interesse.
Para ajudar os produtores, a Embrapa realizou uma palestra, durante o evento, sobre o manejo adequado das lavouras. Para o pesquisador da Embrapa, Alvadi Balbinot, esta temporada teve um clima bastante preocupante mesmo. Antes do estabelecimento das lavouras, houve falta de chuvas em setembro e outubro, na sequência vieram chuvas torrenciais que atrapalharam as plantas. E agora as estiagens voltaram e isso está preocupando os agricultores”, conta ele.
Para ajudar a evitar problemas maiores, o pesquisador ressaltou três cuidados que devem minimizar os problemas causados pelo clima. “A primeira é a escolha de cultivares certas e qualidade de sementes (poder germinativo, vigor e sanidade). O segundo fator é um bom processo na semeadura (janela adequada e uniformidade das plantas). E o terceiro fator é a qualidade do solo (nutrientes, cobertura). Com estes três, o produtor não terá dor de cabeça”, garante Balbinot.
Armazenagem – Os problemas do campo, nesta safra, não se resumem as condições climáticas apenas. Outro fator está tirando o sono da Coamo, a armazenagem de grãos. Segundo o presidente Galassini, o excesso de oferta da temporada passada ainda ocupa boa parte dos 6 milhões de toneladas de capacidade estática da cooperativa. “Esperamos receber pelo menos 7 milhões de toneladas de grãos este ano, somando com o que já está lá, nos preocupa.
Houve lentidão nas vendas dos cooperados, mas nos últimos dias a coisa melhorou um pouco e até a colheita esta situação deverá ter sido sanada”, diz ele.
A pior situação ainda é em Mato Grosso do Sul, onde parte dos grãos ainda está armazenada em silobags. “A quantidade recebida de produtos foi muito grande, mas até a colheita a situação será controlada. Para não falta espaço, temos resolvido o problema com silobags e armazéns que alugamos”, conta Galassini.
A Coamo, com 47 anos de mercado, é considerada a maior cooperativa agroindustrial do país e conta com mais de 28 mil produtores espalhados pelo Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.
De Campo Mourão a Caravana da Soja seguiu para os municípios paranaenses de Guarapuava e Cascavel, levantando as demandas da produção da oleaginosa.
Fonte Coamo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s