Bispo critica projeto de instalação de usina no Rio Ivaí

Dom Celso durante visita em Ivaiporã (Foto:Ivan Maldonado)

Nesta semana, durante visita à Paróquia Santíssima Mãe de Deus, em Ivaiporã, o bispo da Diocese de Apucarana, Dom Celso Antônio Marchiori falou pela primeira vez sobre a instalação de uma Pequena Central Hidrelétrica no Rio Ivaí e se posicionou contra o projeto. O tema vem sendo bastante discutido entre a comunidade e a diocese já promoveu encontros com sacerdotes para avaliar os possíveis impactos do empreendimento.

Segundo Dom Celso a comunidade diocesana também está empenhada e discute o assunto e, por enquanto, aguarda o retorno da população do Vale do Ivaí para que possa se pronunciar oficialmente. “Mas, a princípio, posso adiantar que somos contrários a qualquer intervenção empresarial que venha com a intenção de beneficiar,  mas que a gente sabe que não vai ser isso que vai ocorrer, que na verdade será um grande mal ambiental”, comenta.

O assunto virou polêmica no Vale do Ivaí, quando Rafitec S/A, de Xaxim/SC, em julho, recebeu em audiência pública a anuência para realizar estudos que visa à instalação da PCH entre os municípios de Jardim Alegre e Grandes Rios. Após a conclusão do projeto, caso seja aprovado pela Aneel, uma nova audiência pública será realizada pelos dois municípios para autorizar ou não a construção da usina no Rio Ivaí.

Ainda segundo Dom Celso, a Igreja vai participar efetivamente de todo o processo. “Como a Igreja se interessa pela vida como um todo, com certeza vai acompanhar tudo isso de perto e qualquer coisa que possa interferir na vida das pessoas negativamente seremos sempre contra. A Igreja é sempre a favor da vida”, afirma.

Para Dom Celso, quando o meio ambiente é ferido, a vida humana também é ferida. “Deus criou este jardim para nós cultivarmos, não para destruí-lo. Muitas vezes, para se ganhar mais, se faz qualquer negócio, sem se importar com a natureza e sem se importar com a vida” enfatiza Dom Celso.

O empreendimento hidrelétrico PCH Coqueiro tem registro de intenção de outorga da Agência Nacional de Energia Elétrica Aneel. A previsão de potência instalada é de 28,1 MW e área de reservatório de 259 hectares, sendo 180 hectares do próprio leito do rio e 79 ha. fora do leito.

Conforme o projeto básico, a barragem poderá ser construída  seis quilômetros abaixo da balsa do Marolo e o reservatório terá extensão de aproximadamente oito quilômetros.

Por Ivan Maldonado, TNOnline

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s