Região – Mercado futuro é opção para produtor

Para o produtor de soja, a comercialização é tão importante quanto a produção. Conhecer o funcionamento e os mecanismos para venda dos produtos permitem melhorar a eficiência e ter segurança nas tomadas de decisões. Um desses mecanismos é o Mercado Futuro, muito utilizado no mundo inteiro para a proteção de riscos da atividade e também oferecer previsibilidade para o produtor rural, diante dos preços futuros para a sua produção.

No Vale do Ivaí, normalmente as negociações futuras são feitas por intermédio das cooperativas. Domingos Carlos Fontana, gerente de uma cooperativa com unidade de Ivaiporã, explica que são disponibilizados para seus cooperados a Carta de Intenção de Venda, onde os produtores autorizam a venda tendo como referência os preços que eles intencionaram.

“Hoje por exemplo, o mercado da soja está batendo R$ 66 (saca 60 quilos), o cooperado faz a intenção de 70 e determina o período da negociação. Se o mercado reagir nesse período e chegar no valor esperado  a venda é contratada”, assinala Fontana.

Fontana orienta que o parâmetro para negociações futuras sejam o custo de produção. “O importante no Mercado Futuro, não é o preço de venda, mas sim o custo da lavoura. Nós vimos muitos casos no milho safrinha, onde produtor colheu 210 sacas por alqueire. Ele teve oportunidade de no momento da aquisição dos insumos, travar o custo com 140 sacas de milho. Ficou no mercado se arriscando com o custo na expectativa de preço melhor. Quando chegou no momento de vender entregou a R$ 17 e a lavoura acabou custando 200 sacas por alqueire”, comenta.

Para Fontana, o ideal é que o produtor negocie antecipadamente por etapas, conforme a necessidade. “Não se deve jogar todos os ovos na mesma cesta. Numa regra básica, 30% até 40% é o que visualizamos como o ideal para o produtor que está contratando antecipadamente. Porque, se houver uma diversidade e o produtor não colher, o mercado pode subir mais, e terá que pagar essa diferença caso não venha a produção. Por isso, é importante muito equilíbrio”, completa.

TENDÊNCIA DE ALTA

O produtor de soja, Carlos Alberto Senchechem há mais de dez anos contrata em média 50% da safra de 800 alqueires no Mercado Futuro. “O produtor nunca consegue alcançar na alta. Por isso tem que ir contratando aos poucos, mas tem que garantir pelo menos o custo. Não tem segredo, é aproveitar o momento, ficar de olho na bolsa e quando estiver em alta contratar um pouco até chegar na meta desejada”, esclarece Senchechem.
Senchechem acredita que a tendência do mercado de soja para esta safra é de alta. “Há algumas semanas a tendência tem sido de alta, como no Mato Grosso o plantio foi menor estamos confiantes em preços melhores”, completa Senchechem.

Por Ivan Maldonado, TNOnline

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s